Aqui você encontra música, poesia, artigos, vídeos... e aquelas vicissitudes cotidianas.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Barrigudos Covardes

Nada melhor que ditados populares óbvios para ilustrar uma tese, por mais inúteis que estas sejam. Mas enfim.... o tempo passa para todo mundo, independentemente da teoria da relatividade. Isso, além de um ditado popular, é um fato (como a maioria dos ditados). Digo isso porque o passar do tempo trás várias novidades e uma delas - pelo menos para as portadores de alto nível de testosterona - é a covardia que, para completar, vem seguida de um certo volume na região abdominal.

A natureza me mostrou sua perfeição esses dias, quando, ao conversar com um especialista da área, descobri porque a maioria dos homens fica barrigudo quando vai ficando velho. É simples! O ser humano é um animal projetado para caçar e (teoricamente) ele vive da sua caça; conforme a idade vai passando os reflexos desse animal vão ficando mais lentos, assim como seus movimentos, seus sentidos vão ficando ruins, por isso, o corpo passa a armezenar maior quantidade de reserva (a partir de agora não vou chamar mais ninguém de gordinho, só de "bem provido de reserva"). E graças a essa reserva, o animal precisa caçar com menos frequência. Bem interessante, não?!

É por isso que ficamos barrigudos.

Além disso, é impressionante como os homens vão adquirindo uma covardia crescente que se apresenta de diversas formas. Você acha qua aquela ladeira que você descia de bicicleta sem freio aos 14 anos vai ser tão atraente aos 28? Não, não mesmo! E pelos mesmos motivos da barriga. Os reflexos vão ficando mais lentos, assim como os movimentos.

E o pior: a gente vai ficando menos criativo. Aquela coragem que a gente tinha para contar uma mentirinha, já não é mais a mesma. Eu costumo chamar isso de "casca". A gente vai ficando tão cascudo de coisas que dão errado, que vai dando tanto medo de algo dar errado que acaba perdendo a coragem. Aí já era.... virou covarde.

Ser covarde não tão ruim. Ser barrigudo, sim. Mas a covardia cai bem. Gera frustação, mas também gera paz e barriga. É praticamente um ciclo gorduroso.

Updating: E se você está ficando velho, não adianta fazer lipo e embarcar em aventuras desmedidas, as possibilidades de isso dar errado, são grandes. Palavras de um medroso.

Updating²: Com os devidos créditos a Rubens Stellet - que concebeu a teoria.

domingo, 18 de julho de 2010

Estou em gravação

Pessoal,

como todos sabem não sou cantor, sou músico e compositor (e arquivista nas horas vagas), mas estou reunindo uma galera boa e começando a gravar minhas músicas, em breve vcs vão poder ouvir as composições que eu selecionei.
Por ora, quem quiser ouvir a música de alguma poesia que eu postei, é só pedir aí no blog (no espaço de comentários). Ainda não postei nenhuma, pois foram todas gravadas em casa, logo a qualidade fica meio duvidosa.
Conforme for gravando, vou postando aqui. Ok?!

Tô super ansioso, pois tá difícil de escolher quais que eu vou gravar. Se eu pudesse, gravava todas.... mas sabe como é né.... tô $uper $em tempo.

Abraço a todos ! ! !

Porque os poetas podem tudo

Essa é uma da minhas poesias que mais gosto.

 

Ao papel, tudo podem os poetas.

Porque sequer conseguem definir a inspiração,

Como uma amiga, uma companheira;

Como um momento, um instante;

Como um sentimento, uma sensação.

Não sabem se o coração é seu dono,

Se ela é quem manda, ou se é o próprio coração.

 

Ao escrever, tudo os poetas podem.

Porque ao vê-los, até mesmo as folhas de papel se entregam,

Prontas a receber o que os tais designaram.

Elas sabem que nas mãos de poucos,

Tão importante seriam.

 

Ao expressar, podem tudo os poetas.

Porque o Português pede-lhes licença

Para entrar em suas idéias,

Todas as partes da gramática

São como suas Amélias.

 

Ao poetizarem, os poetas tudo podem.

Porque ao os lerem, as pessoas se revelam;

Os mais diferentes sentimentos se apresentam

Nas suas mais puras e sinceras formas.

 

Os poetas podem tudo.

Porque são os únicos capazes de,

Com uma falha caneta e um papel infecundo,

Trazerem a cura para cada um

E para o mundo.

Vinícius Rocha

My Girl - Por Vinícius Rocha

video

Excelente versão do Tiago Iorc, que eu gravei bem sem vergonhamente.

Me Peça, Não Me Peça

Não me peça promessas

Porque eu prometo e não cumpro

Não me peça sinceridade

Porque eu erro e não assumo

Não me peça constância

Porque eu não tenho rumo

Não me peça eternidade

Porque eu mudo de opinão e saio do prumo

Não me peça por calma

De ansiedade eu consumo

Não me peça que eu te entenda

Eu mal conheço esse mundo

Não me peça arrependimento

porque eu acho normal quase tudo

Não me peça que eu me cuide

porque eu durmo pouco, bebo e fumo

 

Mas pode me pedir loucura

Pode me pedir a cura

Peça sonhos, noites intermináveis

Pode me pedir um mundo novo

Porque isso eu sei fazer

E no final eu mudo por você.

Vinícius Rocha

sábado, 17 de julho de 2010

Carisma, Cativação, Simpatia, Coragem e Inteligência



Nunca fui muito fã de Marx, mas o cara era bom, e ainda é - o que é mais interessante - mesmo estando morto. Uma das poucas idéias que consegui captar do cara é que na vida tudo é um grande capitalismo, é isso mesmo! Tudo se troca, tudo tem um preço que vai mudando de acordo com o tempo, as pessoas e os lugares. Eu digo isso pensando no preço da nossa personalidade.

A nossa personalidade é definida baseada em cinco (gosto desse número!) fatores:

- o primeiro é a infância, época em que somos um imensuravel livro em branco e todo mundo que entra na nossa vida escreve um pouco nele, acredito que essa parte dure até uns sete anos, podendo variar uns dois anos de pessoa para pessoa;

- o segundo fator é bem complexo, acredito que a genética influencia bastate aí, a religião, o lugar em que se vive, talvez até os astros - sejam os da tv ou mesmo os celestes - neste fator começamos a escolher o que gostamos e o que não gostamos e daí incorporamos na nossa personalidade;

- o terceiro são os "fatores externos" (tem um amigo meu que acha muita graça desse termo), que aponto como as experiências de vida que temos, algumas delas podemos escolher, outras nos são impostas;

- o quarto fator é o que mais muda de pessoa para pessoa, é quando decidimos mudar o que não gostamos na gente, é quando podemos apagar (mas sempre fica manchado) ou reescrever o que fizeram no nosso livro, é um a pena que com isso, a gente acaba por mudar coisas boas também, é muito dificil mudar apenas um ponto na nossa personalidade sem alterar outros por nossa própria vontade.

- o último fator é o que eu chamo carinhosamente de "defecando e caminhando", é ponto - que também varia muito - em que a gente passa a não querer saber se está agrandando ou não, se diz que é assim e não sabe ser de outra maneira, aí entram vários ditados, "só os tolos não mudam" por exemplo, eu ainda me arrisco a dizer que se só os tolos não mudam, mas somente os imbecís, egoístas e f.d.ps de natureza nem tentam.

Depois disso tudo eu fico me perguntando o significado de cinco (nossa!!! Como eu gosto desse número) adjetivos que podem fazer parte da nossa personalidade: carisma, cativação, simpatia, coragem e inteligência.

Já que a nossa personalidade custa tão caro, evite estourar o limite do cartão de crédito da sua paciência, incorpore um desses cinco adjetivos na sua personalidade. É lógico que quanto mais desses cinco a gente tiver, mais fácil será!

Acredite se quiser, mas conheço gente que não tem nenhum dos cinco; são intragáveis, são talvez as mais chatas que eu conheço. Por outro lado conheço umas cinco (olha ele aí de novo) pessoas que tem em sua personalidade os cinco adjetivos. Não é dizer que tudo dá certo para elas - longe de mim dizer uma ignominia dessas - mas que facilita o processo, facilita! Vai na fé!

Updating: Isso não é auto ajuda, não mesmo!! É mais ou menos como aquelas dicas de economistas que passa no fantástico domingo quando IBGE afirma que no último o trismestre mais brasileiros entraram para o SPC.

Updating²: Pelo que sei, Calr Marx era um mala! Mas pelo menos era inteligente...